Sindicato dos Trabalhadores no Comércio e Serviço em Geral de Hospedagem, Gastronomia, Alimentos preparados e bebidas de Santo André e região

Desde 1964 lutando por seus direitos
RPB No Ar! Fetrhotel Contratuh Força Sindical

Reportagem Especial: Lesão por Esforço Repetitivo e Distúrbio Osteomuscular Relacionado ao Trabalho

REPÓRTER: Dados preliminares do INSS e analisados pelo Ministério do Trabalho apontam que em 2017 foram concedidos mais de 22 mil benefícios acidentários a profissionais afastados por causa de algum tipo de DORT. Das 20 principais causas de afastamento das atividades profissionais por adoecimento no trabalho no ano passado, quatro se enquadram nessa denominação: lesões no ombro; sinovite, que é a inflamação em uma determinada articulação; tenossinovite, inflamação ou infecção na região do punho; e mononeuropatias dos membros superiores, que são as lesões no nervo periférico, responsável por levar os comandos do cérebro aos músculos para execução dos movimentos. O médico do trabalho, Leonel Rossetti, explica como as doenças podem surgir.

Leonel Rossetti – médico do trabalho
“A principal causa é a agressão mesmo, o mecanismo de agressão que vai desde o esforço repetitivo continuando, né, ou às vezes até mesmo muita força na execução, vibrações também podem provocar DORT, postura inadequada. Hoje em dia também a questão da saúde mental, o estresse também pode provocar DORT. Então é sempre importante ficar atento a essas questões no trabalho.”

REPÓRTER: Comumente chamados de LER-DORT, Lesão por Esforço Repetitivo e Distúrbio Osteomuscular Relacionado ao Trabalho, o médico do trabalho explica que a junção das nomenclaturas não deve ser utilizada…

Leonel Rossetti – médico do trabalho
“O termo correto é DORT, que acaba englobando a LER, né. Porque a LER, ela era exatamente a mesma definição de Lesão por Esforço Repetitivo. E as DORTs, que são as doenças osteomusculares ou Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho elas acabam englobando a LER, que também, né, já faz parte da repetição de movimento no trabalho.”

REPÓRTER: O servidor público Paulo Bertotti teve inflamação em um dos tendões da mão esquerda. Os sintomas apareceram seis meses após a implantação de um novo sistema digital para o desenvolvimento das atividades no local de trabalho.

Paulo Bertotti – servidor público 
“Eu utilizava muito meu dedo mindinho da mão esquerda pra pressionar as teclas como Tab, Shift e isso acabou sobrecarregando ali aquela musculatura não era… era fraca, né. 00:57 01:02 E inflamou, eu tive uma inflamação nesse quinto tendão aí do quinto dedo e eu tive que ficar afastado do trabalho.”

REPÓRTER: A última Pesquisa Nacional de Saúde, realizada pelo IBGE, em 2013, mostra que o Brasil possui mais de 3 milhões e meio de trabalhadores com DORT. E para evitar que situações como a do servidor público ocorram, o Conselho Superior da Justiça do Trabalho e o TST criaram o Programa Trabalho Seguro. O objetivo é promover a articulação entre instituições públicas federais, estaduais e municipais e aproximar-se aos cidadãos da sociedade civil, tais como empregados, empregadores, sindicatos, CIPAS, instituições de pesquisa e ensino, promovendo a prevenção de acidentes de trabalho. O médico do trabalho Leonel Rossetti ressalta: a palavra de ordem quando o assunto está relacionado a DORT é precaução.

Leonel Rossetti – médico do trabalho
“O principal modo de prevenir é, acredito eu, no meu conhecimento aqui na empresa, é primeiro conhecer seu ambiente de trabalho e saber realizar sua tarefa com perfeição. Então, treinamento para a tarefa, pra atividade é o primeiro ponto. Além disso, sempre tem que cuidar com sedentarismo, né, a atividade física orientada, aplicada por um professor especialista com certeza facilita bastante a prevenção das doenças, né, do surgimento e ficar atento aos sintomas. Então, assim, sempre relatar ao médico do trabalho, por exemplo, no exame periódico ou então em qualquer evento oportuno se tiver sentindo alguma dor.”
“Fortalecer e investir em saúde e segurança do trabalho, né, isso vai promover um bem estar coletivo e o ganho vai ser excepcional. Respeitar as normas regulamentadoras da legislação vigente, em especial a NR 17.”

REPÓRTER: A Norma Regulamentadora Número 17 do Ministério do Trabalho traz regras relacionadas ao levantamento, transporte e descarga de materiais, ao mobiliário, aos equipamentos e às condições ambientais do posto de trabalho e à própria organização do trabalho. A NR estabelece, por exemplo, que no trabalho executado na posição sentada, o posto de trabalho deve ser planejado ou adaptado para esta posição e que a partir da análise ergonômica, poderá ser exigido suporte para os pés, que se adapte ao comprimento da perna do empregado.

Se somados todos os dias que os trabalhadores ficaram afastados das tarefas profissionais em 2017 por causa de alguma doença relacionada a DORT, o número chegaria a 2,59 milhões de dias de trabalho perdidos. O servidor público Paulo Bertotti acredita que ginástica laboral, por exemplo, pode ser uma importante aliada na busca por qualidade de vida no ambiente do trabalho.

Paulo Bertotti – servidor público 
“É muito importante, tem muita gente que não tem noção da importância de um alongamento, como isso pode melhorar seu dia no trabalho. 03:38 03:52 Eu acho que tem que ser levado a sério isso, que isso melhora a saúde no trabalho do servidor público ou do funcionário e que deveria ser todos os dias.”

REPÓRTER: Ele conta que aprendeu a lição e os hábitos mudaram quando retornou ao serviço após ter se recuperado da inflamação nos tendões.

Paulo Bertotti – servidor público 
“Foi uma questão de, que me falaram na fisioterapia, de reeducação né. Na hora de digitar, né, de mexer no teclado. Então eu não usei mais exclusivamente só o meu dedo mindinho pra apertar as teclas Tab e Shift, então, comecei a jogar o peso também pra outros dedos e também a fazer pausas regulares, né.”

 Ouça: http://bit.ly/RepLERDORT

Fonte: SITE TST

Reportagem: Rafael Silva
Locução: Dalai Solino